Parecer diz que menino Miguel foi deixado ‘à mercê da própria sorte’ antes de queda do 9º andar, em 2020